Orgulho

A minha rotina de treino e trabalho era bem definida e pouca mudava de uma semana para outra. Era uma rotina cansativa confesso, mas ao mesmo tempo prazerosa. Era bom saber com toda certeza que era aquilo que eu queria para evoluir como ser humano.
No Dojo aprendia com o Sensei Konomoto e com o Sensei Nagatani que utilizar-se como exemplo é e sempre será a melhor forma de ensinar. Neste quesito olhava para o meu brother Horácio e sentia um certo orgulho. Sempre me mantive firme no caminho que havia escolhido e nunca havia deixado aberta a porta da desistência, nem como última opção e esta lição ele estava aprendendo, sem a necessidade de sermões ou discursos, apenas ali, trilhando comigo o caminho árduo do treino da sinceridade, o caminho que lhe mostra quem você é de verdade, sem palavras, sem pensamentos, apenas você.
Com um treinamento constante e duro, mais a vontade de também crescer, os resultados não demoraram a aparecer. Mas os resultados neste caso, tinham pouco a ver com “dom” ou “habilidade”, a palavra correta era esforço mesmo.
Nesta mesma época Sensei Konomoto me informa que meu brother iria participar do próximo exame para Shodan-Ho. Isto realmente me deu muito orgulho, claro, ainda precisava passar no exame, provar que era digno de ser um “Kuro Obi” do Honbu Dojo Shizuoka Goju-kan, mas o fato de ser escolhido para prestar o exame já me fazia sentir orgulhoso.
Ser um Saito que um dia ainda na faixa branca sonhava em aprender a lutar como os grandes, depois, no Japão ser o primeiro brasileiro a treinar ali e ter que provar seu valor e ver as coisas acontecendo como estavam, era um motivo ainda maior de querer crescer ainda mais.
Ter o Karate não apenas como um esporte ou um Hobby, mas como filosofia de vida. Não apenas trilhar o Caminho, mas ser o Caminho. Ter o Caminho do Karate dentro de si.
Orgulho de ver mais um Saito trilhando o Caminho e prestes a iniciar a jornada como um Faixa Preta, orgulho, sim muito orgulho……

Comments are closed.